ADMINISTRADA PELA ADECADI

‘Alívio no coração’, diz dona de restaurante que ajudou vítima de violência sexual que pediu socorro em aplicativo de entrega

“Inicialmente toda a equipe ficou tensa, preocupada com o que poderia estar acontecendo. Quando a gente teve o retorno que estava tudo bem, que a vítima já tinha sido encaminhada ao hospital, que a filha estava bem e o rapaz tinha sido preso, foi alívio no coração”, relembra.

A situação foi registrada na segunda-feira (8), em Curitiba. No campo de observação, usado para escrever uma mensagem referente ao pedido, a mulher contou que estava junto com a filha criança, tinha sido violentada e pediu para que o restaurante acionasse a polícia. Leia mais a seguir.

A dona do restaurante afirmou que foi a primeira vez que a equipe recebeu uma mensagem do tipo.

“Foi bem surpreendente, ninguém estava esperando. Ninguém espera receber um pedido com um pedido de ajuda. Então prontamente a atendente já ligou para a polícia”, conta.

Vítima de violência sexual pede socorro por meio de aplicativo de entrega de comida em Curitiba — Foto: Reprodução

Agradecimento também veio por mensagem

Vítima de violência sexual que pediu socorro por meio de aplicativo de entrega de comida agradece restaurante — Foto: RPC

“Não sei como agradecer, estou muito aliviada. Você salvou duas vidas. Obrigada por me atender e acreditar em mim. Deus abençoe vocês todos. Graças a vocês a polícia chegou a tempo”, disse.

Ela contou que ela e a filha, de pouco mais de um ano, ficaram bem e estão na casa de parentes em Santa Catarina, onde moram.

A mensagem de socorro e ameaças

Vítima de violência agradece ajuda de restaurante

Vítima de violência agradece ajuda de restaurante

Na segunda-feira, o restaurante recebeu um pedido por meio de um aplicativo de entrega de comida com uma mensagem pedindo socorro.

“Me ajuda, manda polícia para esse endereço. Fui estuprada e violentada. Me ajuda, tenho uma filha, corremos perigo”, dizia a mensagem.

A equipe do restaurante acionou a Polícia Militar (PM-PR) que foi até a casa onde a vítima estava. Ao chegar no local, de acordo com a PM, a equipe encontrou a mulher e um homem de 65 anos.

À polícia, a vítima relatou que teve um relacionamento breve com o homem e os dois tem uma filha de um ano e três meses.

Ela e filha moram em Santa Catarina, mas desde sexta-feira (5) estavam na casa do homem, em Curitiba, para que ele pudesse ver a criança.

Segundo Boletim de Ocorrência (B.O), à noite, a mãe colocou a criança para dormir. Em seguida, o homem forçou a vítima a ter relações sexuais com ele e a agrediu.

Ela contou também que passou por outra situação de violência sexual no mesmo dia, quando chegou a casa do suspeito. A vítima disse à polícia que o homem ameaçou ela e a filha de morte, caso contasse o que aconteceu para alguém.

Aos policiais, o homem negou o crime. Ele está preso.

VÍDEOS: Mais assistidos do g1 Paraná