ADMINISTRADA PELA ADECADI

Após seis anos, aula em Foz do Iguaçu marca início do PDE para 2 mil professores da rede estadual


Mais de 2 mil professores da rede estadual de ensino estão em Foz do Iguaçu para as atividades iniciais do PDE (Programa de Desenvolvimento Educacional), retomado pela Secretaria de Estado da Educação (Seed-PR) no ano passado após seis anos do lançamento da última turma. Com objetivo de ofertar formação continuada aos professores do Quadro Próprio do Magistério (QPM), o programa é uma parceria da Seed-PR com a Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti) e as sete universidades estaduais do Paraná.Na manhã desta quinta-feira (4), a aula inaugural “O futuro do presente e a importância da docência” foi ministrada pela professora doutora Linnyer Beatryz Ruiz Aylon, da Universidade Estadual de Maringá (UEM).O evento teve sua abertura oficial na noite de quarta-feira (3) e segue nesta quinta e sexta-feira com outros quatro painéis e a apresentação do PDE 2023, que será feito na modalidade a distância, com carga horária de 420 horas neste e no próximo ano, com dupla certificação: como conclusão do PDE (para ascensão da carreira) e de Especialização em Gestão de Ambientes de Aprendizagem.Desde 2007, quando iniciou a primeira turma PDE até 2019, foram certificados 15.359 professores QPM.“A universidade tem que estar presente dentro na educação básica e a educação básica precisa estar presente na universidade, é assim que a gente faz uma educação pública de qualidade. A educação não se faz em caixinhas separadas, ela é feita de forma integrada. Então todos os temas que serão discorridos ao longo do percurso vão ser atrelados ao que a gente já trabalha no dia a dia das escolas estaduais do Paraná”, ressaltou o secretário da Educação, Roni Miranda.“O programa é executado por meio das nossas universidades, e além de propiciar essa formação continuada, resulta também numa aproximação maior entre a educação básica e a educação superior, na medida em que os professores das universidades estarão em contato direto com as vivências, com o cotidiano, com a realidade do dia a dia dos professores da educação básica, contribuindo assim para essa maior interação”, comentou o secretário da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Nelson Bona.Entre os 2.035 aprovados na seleção do PDE feita em 2022 está a professora de Arte Danieli Porfírio Parra, que trabalha desde 2006 no Colégio Estadual Manoel Antônio Gomes, em Reserva (Campos Gerais). “O PDE é uma possibilidade para o crescimento profissional, assim como uma maneira de incentivar a inovação e a pesquisa na prática docente, trabalhando habilidades essenciais que devem sempre acompanhar os profissionais da educação”, disse ela, que aguardava ansiosamente pela retomada do programa.O programa conecta a importância do aprofundamento acadêmico na formação curricular do professor à prática docente, associando teoria, prática e metodologias ativas para a potencializar a aprendizagem dos estudantes, propondo um ensino que gere engajamento. A professora, por exemplo, planeja aliar arte à tecnologia. "Penso em desenvolver meu projeto dentro da temática do ensino da arte e tecnologia, através do uso de diferentes metodologias ativas e recursos digitais”, completou.CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO – A turma 2023 do PDE será ofertada no formato de um curso de pós-graduação (Lato Sensu – Especialização) com 420 horas em cinco trilhas de aprendizagem. As atividades vinculadas às universidades são realizadas por meio de estratégias e metodologias plurais e incentivadas em consonância com os princípios da educação a distância e da educação digital, disponibilizadas em plataformas virtuais, com acompanhamento de professores das disciplinas e professores mentores.Neste modelo, as ações ofertadas em EaD pelas universidades e Seed-PR proporcionam o retorno dos professores às atividades acadêmicas, sem o afastamento do exercício de funções. Durante o decorrer do curso serão realizados seminários integradores.O PDE propõe a formação continuada em ação, em que os professores atuam e pesquisam a própria prática, propondo múltiplos caminhos para o ensino e a aprendizagem na atualidade.O trabalho de conclusão do curso será a proposta para um projeto de intervenção pedagógica, com objetivo de solucionar situações-problemas do ambiente de trabalho dos professores. Todas as ações de implementação do projeto de intervenção nas escolas devem acontecer presencialmente, no local em que o professor PDE atua, orientadas por professores mentores.UVPR – Os conteúdos das 14 disciplinas do curso serão produzidos pelas universidades públicas estaduais do Paraná, sob a coordenação da Universidade Virtual do Paraná (UVPR) na modalidade do ensino a distância (EaD). A Universidade Virtual do Paraná é um programa que reúne centros de EaD das instituições estaduais de ensino superior para o desenvolvimento de projetos e cursos, como o PDE. No curso de formação dos professores vinculados à Seed-PR, a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) será responsável pelo apoio técnico no desenvolvimento da plataforma e das disciplinas do curso e a Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) ficará responsável pelos aspectos didáticos e financeiros.De Costa Oeste