ADMINISTRADA PELA ADECADI

Buscas por adolescente grávida desaparecida no Paraná entram no 14º dia

De acordo com as investigações, a jovem sumiu após sair para se encontrar com o vigilante Marcos Vagner de Souza, apontado como pai do bebê que ela está esperando. O homem se entregou à polícia na segunda-feira (17), após passar três dias foragido.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, as buscas já foram finalizadas nas áreas onde o celular da jovem registrou localizações pela última vez.

Agora, o foco são pontos da área rural de Tibagi onde foram feitas denúncias ou apurados indícios da adolescente.

As buscas estão sendo feitas por bombeiros e policiais militares e civis, e contam com o apoio de cães farejadores e drones.

Buscas por adolescente grávida desaparecida no Paraná entram no 14º dia — Foto: Reprodução

Desaparecimento

A investigação aponta que Isis saiu de casa pouco depois das 18h do dia 6 de junho, em Tibagi, para conversar com Marcos sobre a gravidez.

Segundo familiares, a jovem disse para a irmã e para uma prima que planejava contar à mãe que estava grávida na mesma noite em que sumiu, e que apesar de Marcos querer que ela fizesse um aborto, ela tinha a intenção de ter o bebê.

O delegado Jonas Avelar confirma que Marcos foi a última pessoa a ver a jovem antes dela desaparecer – e se contradisse no primeiro depoimento.

“Alguns prints demonstram que ele estava muito insatisfeito com a gravidez dessa adolescente. Interrogado, Marcos confirmou o encontro, porém alegou que só foi deixá-la na Vila São José […] e em seguida retornou – mas através da coleta das imagens, foi possível perceber que Marcos demorou em torno de uma hora para retornar”, conta Avelar.

Localização dos celulares

Celular de suspeito aponta que ele esteve no mesmo lugar que adolescente após ela desapare

Celular de suspeito aponta que ele esteve no mesmo lugar que adolescente após ela desapare

Antes de desaparecer, Isis chegou a enviar uma mensagem com a localização dela para a família. Ela estava na margem da PR-340, que liga Tibagi a Castro.

A polícia diz que essa mensagem foi apagada pouco depois pelo celular da adolescente. Na sequência, o aparelho foi desligado.

Após a quebra do sigilo telefônico de Isis e de Marcos, o celular do vigilante apontou que ele esteve no mesmo lugar que a adolescente nos dois dias seguintes ao desaparecimento dela.

“Diante do deferimento da quebra de sigilo telemático do aparelho celular, foi possível detectar uma localização da adolescente na cidade de Telêmaco Borba, próxima a uma estrada chamada Mandaçaia. […] Chamou a atenção também das investigações o Marcos ter ido nessa localidade nos dias 7 e 8 de junho, no mesmo local em que deu a localização do aparelho celular da vítima”, aponta o delegado Avelar.

O local apontado pelas localizações é uma área de mata extensa, de difícil acesso, segundo o delegado. Buscas com drones e cães farejadores foram feitas no local no sábado (15) e no domingo (16), mas nenhum vestígio da adolescente foi encontrado.

Prisão do suspeito

Marcos prestou depoimento à polícia no dia 10 de junho e, durante a semana, a investigação conseguiu mandados de busca e apreensão para avaliar celulares e notebooks do suspeito.

No dia 14 um mandado de prisão foi expedido, mas o homem não foi mais encontrado.

Na noite de segunda-feira (17) ele se entregou em Francisco Beltrão, no sudoeste do estado – a mais de 400 quilômetros de distância de Tibagi – e no dia seguinte foi transferido para Ponta Grossa, nos Campos Gerais.

A defesa dele afirma que vai se manifestarsomente nos autos do processo.

Marcos Vagner de Souza se entregou à polícia após ser considerado foragido pelo desaparecimento de Isis Victoria Mizerski — Foto: Polícia Civil do Paraná

VÍDEOS: Mais assistidos do g1 PR