ADMINISTRADA PELA ADECADI

Celular de suspeito indica que ele foi duas vezes ao ponto onde celular de adolescente desaparecida registrou localização pela última vez, diz delegado

A informação é do delegado Jonas Avelar, responsável pelo caso. Segundo ele, o celular da vítima ainda não foi encontrado, mas a confirmação foi feita após a quebra do sigilo dos celulares dela e de Marcos.

“Diante do deferimento da quebra de sigilo telemático do aparelho celular, foi possível detectar uma localização da adolescente na cidade de Telêmaco Borba, próxima a uma estrada chamada Mandaçaia. […] Chamou a atenção também das investigações o Marcos ter ido nessa localidade nos dias 7 e 8 de junho, no mesmo local em que deu a localização do aparelho celular da vítima”, aponta.

O local apontado pelas localizações é uma área de mata extensa, de difícil acesso, segundo o delegado. Buscas com drones e cães farejadores foram feitas no local no sábado (15) e no domingo (16), mas nenhum vestígio da adolescente foi encontrado.

Isis desapareceu no dia 6 de junho em Tibagi, nos Campos Gerais do Paraná, após sair para se encontrar com Marcos. De acordo com familiares da jovem, ela está grávida de Marcos e ele queria que ela fizesse um aborto.

O homem, que estava foragido desde sexta (14), se entregou à polícia na noite de segunda-feira (17) em Francisco Beltrão, no sudoeste do estado. O delegado Jonas Avelar aguarda a transferência dele para os Campos Gerais para novo interrogatório.

Até a última atualização desta reportagem, a polícia não tinha dado informações se Marcos falou, ou não, sobre o paradeiro de Isis, que continua desaparecida.

O advogado Gilson Garcia, que representa Marcos, afirma que a defesa vai requerer junto à Polícia Civil algumas diligências como juntada de imagens, com intuito de comprovar que o Marcos não cometeu nenhum crime.

“A prisão temporária dele é de 30 dias, com as diligências que a defesa vai requerer no inquérito vamos aguardar os 30 dias, se após este período for renovada a prisão dele entraremos com o habeas corpus, pois este período de prisão é pra que não haja interferência na investigação”, aponta a defesa.

Marcos Vagner de Souza foi considerado foragido pelo desaparecimento de Isis Victoria Mizerski — Foto: Polícia Civil do Paraná

Localizações dos celulares

De acordo com as investigações, no início da noite de 6 de junho, quando desapareceu, Isis chegou a enviar uma mensagem com a localização dela para a família. Ela estava na margem da PR-340, que liga Tibagi a Castro.

A polícia diz que essa mensagem foi apagada pouco depois pelo celular da adolescente. Na sequência, o aparelho foi desligado.

O delegado confirma que Marcos foi a última pessoa a ver a jovem antes dela desaparecer – e se contradisse no primeiro depoimento.

“Alguns prints demonstram que ele estava muito insatisfeito com a gravidez dessa adolescente. Interrogado, Marcos confirmou o encontro, porém alegou que só foi deixá-la na Vila São José […] e em seguida retornou – mas através da coleta das imagens, foi possível perceber que Marcos demorou em torno de uma hora para retornar”, conta Avelar.

Jovem está grávida do suspeito, segundo familiares

Isis Victoria Mizerski — Foto: Arquivo da família

Segundo familiares de Isis, a jovem disse para a irmã e para uma prima que planejava contar à mãe que estava grávida na mesma noite em que sumiu.

Ambas também afirmaram que Isis não tinha a intenção de fazer um aborto e estava começando a pensar em nomes para o bebê.

O tio de Isis, Rodrigo Mizerski, disse que a família acredita no retorno da jovem.

“Estamos buscando câmeras, pedindo ajuda para todos, tanto para população, autoridades, pessoas de fora […] Eu creio nisso, na esperança da volta dela.”

VÍDEOS: Mais assistidos do g1 PR