ADMINISTRADA PELA ADECADI

Criança denuncia padrasto por estupro após entender abusos em aula sobre educação sexual, em Ponta Grossa

Uma menina de 10 anos denunciou o próprio padrasto, de 45 anos, por estupro, depois que assistiu a uma aula obre educação sexual, em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, segundo a Polícia Civil.

Os abusos aconteciam desde 2023, porém, a criança só entendeu que as ações do padrasto não eram apenas carinhos após uma abordagem em sala de aula sobre sexualidade, em junho de 2024, conforme a delegada Ana Paula Cunha, do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria).

Com isso, a criança relatou à mãe o que estava acontecendo, e ela denunciou o homem para a polícia.

Criança denuncia padrasto por estupro após entender abusos em aula sobre educação sexual, em Ponta Grossa — Foto: Reprodução/RPC

“Segundo relato da criança, durante os abusos, o suspeito falava que era apenas carinho e ela acreditava”.

“Em razão da vítima desconhecer até então que esses carinhos não se tratavam de carinho e sim de crime, o investigado teve acesso integral ao corpo da criança, porque o desconhecimento dela garantia, inclusive, o próprio silêncio com relação a esses fatos”, afirma a delegada.

As investigações apontaram que o suspeito se aproveitava dos momentos em que a mãe da menina não estava em casa para cometer o crime, segundo a polícia.

Homem foi preso

Polícia prende padrasto suspeito de estupro contra enteada em Ponta Grossa

Polícia prende padrasto suspeito de estupro contra enteada em Ponta Grossa

Após tomar conhecimento do caso, a polícia divulgou uma foto do suspeito e expediu um mandado de prisão preventiva contra o homem.

Na segunda-feira (8), ele se apresentou à polícia, junto com um advogado, e foi preso. Segundo a delegada Ana Paula Cunha, ele foi interrogado, mas optou por permanecer em silêncio.

Importância de conversar sobre o assunto com as crianças

A delegada reforçou a importância de falar sobre abuso sexual com as crianças, a fim de evitar a perpetuação deste tipo de violência.

“Caso não tivesse havido essa abordagem na escola, esta criança poderia ainda estar sendo vítima de um crime tão terrível como este, que é o estupro de vulnerável”, alerta.

Como denunciar crimes de abuso contra crianças e adolescentes?

  • Qualquer delegacia de polícia;
  • Polícia Militar, pelo telefone 190, quando a criança está correndo risco imediato;
  • Samu, pelo telefone 192, para pedidos de socorro urgentes;
  • Delegacias especializadas no atendimento de crianças ou de mulheres;
  • Disque 100, que recebe denúncias de violações de direitos humanos;
  • Conselho tutelar: todas as cidades possuem conselhos tutelares;
  • Ministério Público.

VÍDEOS: Mais assistidos do g1 Paraná