ADMINISTRADA PELA ADECADI

Desaparecimento de adolescente grávida no Paraná se aproxima de um mês sem indícios da jovem

De acordo com as investigações, ela sumiu em Tibagi, nos Campos Gerais do Paraná, após sair para se encontrar com o vigilante Marcos Vagner de Souza, apontado como pai do bebê que ela está esperando.

À polícia, o homem confirmou que se encontrou com Isis e disse que a deixou em uma vila da cidade, negando ter envolvimento em qualquer crime. Ele está preso preventivamente desde o dia 17 de junho. Saiba mais abaixo.

Buscas estão sendo realizadas pelas polícias Militar e Civil e pelo Corpo de Bombeiros em áreas de mata onde a localização do celular de Isis indica que ela esteve e onde houve denúncias anônimas – mas as corporações não divulgaram que encontraram qualquer indício da jovem.

Nesta terça-feira (2) o g1 entrou em contato com a Polícia Civil questionando se houve avanço nas investigações e a assessoria da corporação respondeu com a mesma nota enviada na sexta-feira (28).

“A Polícia Civil do Paraná (PCPR) está empenhada em utilizar todos os recursos técnicos, tecnológicos e humanos disponíveis para a rápida resolução deste caso. Para garantir a integridade e a eficiência das investigações, é crucial mantermos, neste momento, um nível elevado de sigilo”, diz o texto.

Na nota, a Polícia Civil também afirma que, agora, a comunicação com a imprensa será feita exclusivamente por meio de notas oficiais.

“Entrevistas e divulgações prematuras podem comprometer o andamento das investigações e prejudicar a coleta de informações precisas. No momento oportuno, uma entrevista coletiva será realizada para fornecer mais detalhes. Agradecemos a compreensão e a colaboração de todos”, finaliza.

Na quinta-feira (27) o advogado que representa a família da jovem, Claudio Dalledone, concedeu uma entrevista coletiva ao lado do tio de Isis, Rodrigo Mizerski, comentando o caso. Ele afirmou que o escritório de advocacia iria abrir uma investigação paralela para ajudar na apuração sobre o paradeiro da adolescente.

“Num primeiro momento precisamos saber se ela está viva ou morta. A partir disso que se desenvolvem caminhos para o processo. Os familiares acordam com a esperança de encontrar ela viva e adormecem com o sentimento dessa menina estar morta. A família está num turbilhão emocional muito grande”, contou Dalledone.

Rodrigo, tio da jovem, afirmou que a família acredita que Marcos tem envolvimento no desaparecimento da menina.

“Enquanto nós estamos num quebra-cabeça, o suspeito se encontra numa cela protegido, sem falar e aguardando se vão encontrar algo que ele fez”, disse.

Os advogados Renato Tauille, Tainan Laskos e Guilherme Oliveira, que representam Marcos Vagner, afirmam que refutam “integralmente qualquer envolvimento dele no desaparecimento da adolescente Isis”.

“A defesa vem acompanhando a investigação da Polícia Civil do Paraná e está analisando os elementos de prova já colhidos pela autoridade policial para definir as próximas medidas a serem adotadas. Reafirmamos que Marcos Vagner não possui qualquer envolvimento com o desaparecimento da adolescente e comprovará a sua inocência”, afirmam os advogados.

Suspeito preso é indicado como pai do filho que a jovem está esperando

Segundo familiares de Isis, a jovem teve um envolvimento amoroso com Marcos e engravidou do vigilante, mas ainda não havia revelado a gravidez para todos.

A jovem disse para a irmã e para uma prima que planejava contar à mãe que estava grávida na mesma noite em que sumiu e que, apesar de Marcos querer que ela fizesse um aborto, ela tinha a intenção de ter o bebê e estava escolhendo o nome da criança.

No primeiro depoimento, no dia 10 de junho, Marcos Vagner de Souza confirmou que se encontrou com Isis no dia que ela desapareceu. Segundo o delegado Jonas Avelar, ele disse que a deixou em uma vila da cidade, negando ter envolvimento em qualquer crime.

A Polícia Civil conseguiu a quebra de sigilo dos celulares de Isis e Marcos e afirma que os dados apontam que o vigilante esteve no mesmo lugar que a adolescente nos dois dias seguintes ao desaparecimento dela.

Celular de suspeito aponta que ele esteve no mesmo lugar que adolescente após ela desapare

Celular de suspeito aponta que ele esteve no mesmo lugar que adolescente após ela desapare

Dias depois, a polícia apreendeu celulares e outros pertences do vigilante e no dia 14 um mandado de prisão foi expedido em nome dele, mas o homem não foi mais encontrado.

Marcos Vagner de Souza é considerado foragido pelo desaparecimento de Isis Victoria Mizerski — Foto: Polícia Civil do Paraná

O homem se entregou à polícia três dias depois e está preso desde 17 de junho.

Vídeos mais assistidos do g1 PR: