ADMINISTRADA PELA ADECADI

Dezembro Vermelho: Polícia Penal do Paraná realiza ações de conscientização sobre o HIV em todo o estado


O último mês do ano é marcado por uma campanha de grande importância de âmbito nacional e internacional, que é a de conscientização sobre o HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis (IST), denominando a Campanha Dezembro Vermelho. A Polícia Penal do Paraná (PPPR), através de suas regionais administrativas por todo o estado, está realizando uma série de ações neste mês, como simpósios, coletas de testes rápidos e de outros materiais para diagnósticos de sífilis e hepatite, além de atividades de divulgação de informações sobre o assunto. É importante destacar que ter HIV não é o mesmo que ter AIDS, pois há muitos soropositivos que vivem anos sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença. O vírus pode ser transmitido por relações sexuais desprotegidas, pelo compartilhamento de seringas contaminadas ou de mãe para filho durante a gravidez e a amamentação, quando não são tomadas as devidas medidas de prevenção. Por isso é essencial a proteção em todas as situações citadas e fazer regularmente o exame. “Em todos os meses do ano, a PPPR tem participado de vários trabalhos de importância no que diz respeito a conscientização em vários segmentos. Embora seja uma política permanente da segurança pública, a conscientização de nossos servidores e de todos aqueles que com eles se relacionam sobre a questão do HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis é realizada dentro do Dezembro Vermelho, a exemplo de outras campanhas específicas em outros meses. A realização de rodas de conscientização, simpósios e palestras são importantes pois trata-se de um tema sensível que diz respeito aos nossos profissionais e também as mais de 35 mil pessoas privadas de liberdade. É um tema sempre atual, importante e que merece a devida atenção. Vemos com muito bons olhos a orientação que acontece dentro da instituição que tem se tornado imensa, que é a nossa Polícia Penal do Paraná, pela responsabilidade que tem não apenas com seus trabalhadores mas também com os custodiados”, destaca o diretor-adjunto da Polícia Penal do Paraná, Maurício Ferracini.Na regional administrativa da PPPR em Londrina, no início do mês, o setor de enfermagem penal participou do 3º simpósio de HIV-AIDS no Hospital Universitário da Universidade Estadual de Londrina (UEL) apresentando dados epidemiológicos, rotinas de trabalho e de tratamentos. Atualmente, a Penitenciária Estadual de Londrina I (PEL I) é a única unidade da região que faz o teste rápido das IST para as pessoas privadas de liberdade, e o faz logo no momento da chegada à unidade. O teste rápido é realizado a partir da coleta de uma gota de sangue retirada da ponta do dedo, é gratuito e realizado de maneira sigilosa. O resultado é liberado em torno de 30 minutos, sem necessidade de pedido médico. “Todos os PPLs são testados no momento de entrada na unidade e o índice de sífilis é muito grande. Já na triagem são feitos questionamentos, como por exemplo, se o apenado possui alguma lesão nos órgãos genitais, o que reflete em uma averiguação mais aprofundada para cuidado desta pessoa”, destaca a enfermeira da Penitenciária Estadual de Francisco Beltrão (PEFB), Maria Tereza Techy. Na Cadeia Pública de Dois Vizinhos, foi realizado um mutirão em parceria com a Estratégia de Saúde da Família (ESF) do município, em que foram feitos testes rápidos em todas as PPLs da unidade, além de orientações sobre o tema.De Costa Oeste