ADMINISTRADA PELA ADECADI

Idoso não suspeitou de crime e pretendia usar na aposentadoria R$ 179 mil furtados e gastos por neta no ‘Jogo do Tigrinho’, afirma polícia

Em depoimento, homem contou que dinheiro levado era resultado de economia de ‘uma vida inteira de trabalho’. Jovem foi presa, mas negou autoria do crime.


Mulher é presa suspeita de desviar R$ 179 mil da conta do avô, em Jussara

Mulher é presa suspeita de desviar R$ 179 mil da conta do avô, em Jussara

O idoso de 83 anos que, segundo a Polícia Civil, teve R$ 179 mil furtados da conta dele pela neta para o chamado “Jogo do Tigrinho”, contou em depoimento que não esperava ser vítima de um crime praticado por alguém tão próximo.

Ele também declarou à polícia que pretendia usar o dinheiro na aposentadoria.

A jovem de 22 anos foi presa nesta quinta-feira (27) pela polícia em Jussara, no noroeste do Paraná. Ela deve responder por furto qualificado mediante fraude e abuso de confiança por ter usado o dinheiro no jogo, que é uma espécie de caça-níquel online.

O g1 e a RPC tentam contato com a defesa.

Segundo o delegado Gabriel Stecca, que investiga o caso, o idoso disse que havia economizado o dinheiro durante a vida inteira, e que ficou surpreso ao descobrir que a neta é suspeita do furto.

Câmeras internas de banco registraram suspeita fazendo as movimentações — Foto: Reprodução

“Nós questionamentos a neta, e ela negou envolvimento. Relatou que não sabia como esse dinheiro tinha sido creditado em sua conta, nem como teria sido gasto. A partir dos extratos bancários dela, nós constatamos que grande parte desse dinheiro foi gasto em um jogo de azar online”, afirmou Stecca.

Cadê o dinheiro?

De acordo com o delegado, o idoso desconfiou que havia algo de errado quando, ao ver os extratos bancários, percebeu uma diferença de mais de R$ 179 mil.

No começo deste ano, ele registrou um Boletim de Ocorrência (B.O.) na Polícia Civil, que passou a investigar o caso.

A investigação comprovou, por meio dos mesmos extratos, que no dia 18 de setembro de 2023 havia R$ 179 mil na conta da vítima.

No dia 31 de outubro, o saldo diminuiu para apenas R$ 248. Ao analisar as contas da neta, a polícia identificou diversas transferências da conta do avô para a dela no mesmo período.

Em depoimento, a jovem negou o crime. Durante audiência de custódia, a Justiça manteve a prisão preventiva dela.

Mais assistidos do g1 PR