ADMINISTRADA PELA ADECADI

Jovem Dionísio fala do sucesso da música ‘to bem’ e revela como o hit surgiu

Em entrevista ao g1, eles contaram que acreditavam no potencial da nova música, mas não esperavam a grande repercussão que ela tomou em tão pouco tempo de lançamento.

“Desde o início a gente olhava para essa música, quando ela não tinha nem letra concluída, e falava: ‘Essa aqui tem uma coisa especial, a gente realmente vai querer trabalhar mais em cima dela’, só que a gente não imaginou que ia tomar essa proporção”, afirmam.

Agora, com quase um milhão de visualizações da música apenas em uma plataforma de vídeos, eles celebram o alcance da canção e acham divertidas as criações de internautas – tanto dos anônimos, quanto dos famosos.

“É maneiro ver a reinterpretação da arte, da música. A gente faz ela pensando em alguma coisa, mas o legal da música é que cada um entende da maneira que ‘bate’ para ele; desde pessoas fazendo pra se arrumar, ou pra dançar com os amigos… enfim, várias formas de vídeos, de usar e de interpretar a música. […] O mais maneiro de fazer música é isso”, avaliam.

A Jovem Dionísio é formada por cinco amigos de infância: Bernardo Pasquali (voz), Bernardo Hey (teclados), Gabriel Mendes (bateria), Gustavo Karam (baixo) e Rafael Dunajski (guitarra). Os integrantes têm de 22 a 29 anos.

Curitiba é a cidade onde nasceram, onde moram e ponto de partida da nova turnê de shows com o mote do segundo álbum.

O show de na capital será no dia 26 de junho. Ao longo de julho e agosto mais cidades paranaenses como Londrina, Maringá e Ponta Grossa também devem receber shows – que são o atual foco do grupo.

“Por enquanto, não tem um mês que a gente lançou o disco. Estamos acompanhando muito as redes sociais, mas sem querer dimensionar. Agora, a gente está mais preocupado com o que temos controle, que é tentar fazer o melhor espetáculo que a gente puder, e sair na estrada para descobrir como é que esse disco está ‘batendo’ para as pessoas, porque é realmente no show que a gente descobre quais músicas o público está mais gostando”, afirmam.

A banda arrisca dizer que os próprios pais acompanham mais os vídeos nas redes sociais do que eles, compartilhando tudo que acham em um grupo interno – chamado de “Velhos Dionísios”.

Como surgiu a música

Novo sucesso da Jovem Dionísio surgiu da junção de duas músicas

Novo sucesso da Jovem Dionísio surgiu da junção de duas músicas

A Banda Jovem Dionísio conta que a música “to bem” surgiu da junção de duas composições e teve o envolvimento de todos os integrantes da banda.

O refrão foi criado em um momento e os versos, que inundaram as redes sociais, em outro.

“Quando a gente foi fazer o primeiro retiro de composição e produção desse disco eu trouxe a música, a galera adorou e a gente completou a letra do primeiro verso. Em outro dia, alguns meses depois, a gente sentou pra fazer o segundo verso”, conta Bernardo Pasquali.

A ideia surgiu enquanto o cantor estava no carro, viajando, pensando na temática de “se arrumar”.

O carro, porém, não era o “Alfredino”, que chega a ser citado na canção – “O Alfredino tá lotado, já não cabe mais ninguém”. Esse é outro, de propriedade do baixista Gustavo Karam.

Comprado há 12 anos e acumulando mais de cem mil quilômetros rodados, o veículo é o “xodó” do grupo e já “estrelou” três lançamentos da banda.

Banda Jovem Dionísio no carro chamado de “Alfredino” — Foto: Reprodução/Redes Sociais

As referências pessoais são, inclusive, frequentes nas composições da Jovem Dionísio.

Dentre os cinco integrantes, quatro são torcedores do Coritiba e cantam o trecho “Meu verdão foi rebaixado, mas tá tudo bem” em referência à queda do time de futebol da série A para a série B no Campeonato Brasileiro de 2023.

Dois anos de diferença entre os sucessos

Sucessos ‘Acorda, Pedrinho’ e ‘Tô Bem’ têm dois anos de diferença

Sucessos ‘Acorda, Pedrinho’ e ‘Tô Bem’ têm dois anos de diferença

A banda toca junto, com a mesma formação, há doze anos. Primeiro eles e mais um integrante formavam um grupo voltado a “covers”, até, em 2019, criarem a Jovem Dionísio.

Em 2022, estouraram com “Acorda, Pedrinho”, e a partir daí foram mais dois anos para o lançamento do novo álbum e do novo sucesso.

Para eles, o tempo foi de amadurecimento profissional.

“A gente ficou muito tempo sem lançar nada… A gente lançar o [primeiro] álbum e sair pelo mundo foi uma coisa realmente foi muito boa. A gente mudou muito a cabeça e acabou ficando muito tempo só fazendo show, não pensando em produção de música, nem nada relacionado ao estúdio”, contam.

O novo álbum levou quase um ano e meio para ser produzido, segundo eles.

“A gente sabia que tinha que ser uma coisa especial, diferente do primeiro álbum também. […] E com certeza tem muita interferência dessa fase que a gente passou em show; muita coisa a gente teve que aprender na marra, com erros e acertos. […] Quando a gente vai para a estrada e tem conexão com mais pessoas, mais artistas, consegue trocar informações, ideias e assuntos, e tudo isso soma para a sonoridade que a gente traz neste segundo disco”, avaliam.

O sucesso após “Acorda, Pedrinho” fez os jovens se redescobrirem como músicos.

“Conforme vai passando o tempo, você vai também mudando os gostos e aprendendo coisas novas. Isso vai indiretamente interferindo na sonoridade, e o resultado é esse segundo disco”, destacam.

Banda Jovem Dionísio, de Curitiba (PR) — Foto: Reprodução/Redes Sociais

VÍDEOS: Mais assistidos do g1 Paraná