ADMINISTRADA PELA ADECADI

Justiça condena vereador do Paraná que criticou união homoafetiva e usou ator Paulo Gustavo como exemplo

Parlamentar foi condenado a mais de três anos de prisão, mas teve pena revertida em serviços comunitários. Ator morreu de Covid-19 em 2021.


Vereador Donaldo Seling na sessão da Câmara de Vereadores no dia 3 de maio de 2024 — Foto: Reprodução/Câmara de Vereadores de Maripá

Paulo Gustavo morreu por complicações provocadas pela Covid-19 no dia 4 de maio de 2021. Um dia antes, o parlamentar fez as críticas na sessão da Câmara Municipal, que foi transmitida pela internet.

A defesa informou que vai recorrer da decisão. Ele foi denunciado pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) em julho de 2021. A condenação saiu nesta sexta-feira (28).

No discurso, Selling decidiu prestar uma homenagem ao Dia das Mãe, quando disse:

“Aí você vê uma notícia, em primeira mão nos celulares e na televisão, um ator Gustavo, é Gustavo, é homem, internado com Covid e seu marido torcendo pela melhora dele. Estamos tendo um desentendimento. Na minha opinião, essa coisa moderna não serve para mim. Não podemos pregar esse tipo de coisa. Sou da época que homem é homem, mulher é mulher”.

Durante sessão, vereador de Maripá critica união homossexual

Durante sessão, vereador de Maripá critica união homossexual

De acordo com a sentença, o vereador foi condenado a três anos, um mês e 15 dias de prisão. A pena foi convertida em 1.141 horas de prestação de serviços comunitários.

O ator Paulo Gustavo, vítima da Covid — Foto: Daniela Ramiro/Estadão Conteúdo

Ele também terá que pagar R$ 4.236 ao Grupo Dignidade, organização não governamental de defesa e promoção da livre orientação sexual, identidade e expressão de gênero de pessoas LGBTQIAPN+.

Conforme a decisão, o vereador vai ter que pagar outra indenização, de R$ 7 mil, por dano moral coletivo. O valor será destinado ao Fundo Estadual de Defesa dos Interesses Difusos.

Mais assistidos do g1 PR