ADMINISTRADA PELA ADECADI

Polícia apreende fenol manipulado e ácido hialurônico vencido em clínica estética onde idosa fez peeling e ficou com queimaduras graves

Segundo a corporação, a vítima fez o procedimento em 25 de maio com uma mulher que se apresenta como esteticista e biomédica. Depois, passou a sentir dores e, 11 dias após o peeling, foi hospitalizada. Relembre abaixo.

A suspeita e a clínica não tiveram os nomes oficialmente divulgados. À RPC, o advogado Paulo Cristo, que defende a envolvida, disse que vai se manifestar em “momento oportuno”.

A suspeita não estava no local quando os policiais chegaram. A delegada Aline Manzatto disse que, se ela estivesse, seria presa em flagrante por conta dos materiais encontrados.

De acordo com a delegada Aline, no caso de produtos injetáveis encontrados, a polícia não localizou registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) permitindo a utilização.

A delegada afirmou que a suspeita vai responder por lesão corporal, exercício ilegal da medicina e uso de produto falsificado para fins medicinais.

Fenol veio de São Paulo

Produto utilizado para o peeling de fenol (tampa verde) foi apreendido em Curitiba — Foto: Victor Bittencourt/RPC

A delegada Aline afirmou que o fenol encontrado na clínica tem prescrição de uma dentista de São Paulo. Para a delegada, o produto é prescrito e manipulado no estado para, posteriormente, ser trazido para a clínica, em Curitiba.

A dentista, que não teve o nome divulgado, também deve ser investigada.

A delegada também explicou que o produto não tinha identificação para ser utilizado em um paciente específico, mas sim para uso da própria esteticista, o que não poderia acontecer, conforme a investigação.

“Nenhum produto manipulado está identificado como aplicado para vitima, mas para a própria esteticista.”

Suspeita disse que é estudante, segundo delegada

Em entrevista à RPC, a delegada Aline disse que antes da operação, a suspeita prestou depoimento à polícia na terça-feira (11) Na ocasião, ela afirmou à delegada que é estudante de biomedicina, diferentemente da forma que se apresentava, como biomédica.

Sobre ela também se apresentar como esteticista, a polícia não encontrou nenhuma comprovação de qualificação para o exercício da profissão durante a operação desta quinta (13).

“Nos certificados nós vimos não tem órgão que valide. Não temos sequer a prova que ela é esteticista com certificação reconhecida. Ela não tem o registro válido na Vigilância Sanitária para atuar com procedimentos invasivos, só com procedimento sem ser invasivo.”

Vítima teve que passar por cirurgia

Mulher sofre queimaduras de segundo e terceiro grau após fazer peeling de fenol em Curitiba — Foto: Arquivo Pessoal

No caso da vítima que teve o rosto queimado, a polícia disse que as queimaduras foram de segundo e terceiro graus.

Conforme a delegada Aline, a suspeita de realizar o procedimento não deu as orientações adequadas para a paciente.

“Por diversas ocasiões, após o procedimento, a vítima e os familiares questionaram a profissional sobre a necessidade de assistência médica, a qual teria afirmado que as dores eram normais e apenas recomendou a aplicação de uma pomada no rosto”, afirma a delegada.

A paciente precisou passar por cirurgia para tratar a pele do rosto, de acordo com a polícia.

Peeling de fenol

O fenol é um composto orgânico ácido que provoca uma reação inflamatória na pele. A inflamação causa descamação da superfície do tecido. O objetivo é reduzir manchas, rugas e cicatrizes, devolvendo a elasticidade da face.

VÍDEOS: Mais assistidos do g1 Paraná