ADMINISTRADA PELA ADECADI

Vítima de violência sexual pede socorro por meio de aplicativo de entrega de comida em Curitiba

No campo de observação, mulher pediu para que restaurante acionasse a polícia. Equipe do restaurante acionou a PM, que foi até a casa onde vítima estava. Homem foi preso.


Mulher usa aplicativo de entrega de comida para pedir ajuda

Mulher usa aplicativo de entrega de comida para pedir ajuda

Uma mulher, de 26 anos, vítima de violência sexual pediu ajuda por meio de um aplicativo de entrega de comida, em Curitiba, na noite de segunda-feira (8).

No campo de observação, usado para escrever uma mensagem referente ao pedido, a mulher pediu para que acionassem a polícia.

“Me ajuda, manda polícia para esse endereço. Fui estuprada e violentada. Me ajuda, tenho uma filha, corremos perigo”, diz a mensagem.

A equipe do restaurante acionou a Polícia Militar (PM-PR) que foi até a casa onde a vítima estava. Ao chegar no local, de acordo com a PM, a equipe encontrou a mulher e um homem de 65 anos.

A dona do restaurante afirmou que assim que foi a primeira vez que a equipe recebeu uma mensagem do tipo.

“Foi bem surpreendente, ninguém estava esperando. Ninguém espera receber um pedido com um pedido de ajuda. Então prontamente a atendente já ligou para a polícia”, relembra.

Ameaças

Vítima de violência sexual pede socorro por meio de aplicativo de entrega de comida em Curitiba — Foto: Reprodução

À polícia, a vítima relatou que teve um relacionamento breve com o homem e os dois tem uma filha de um ano e três meses.

Ela e filha moram em Santa Catarina, mas desde sexta-feira (5) estavam na casa deste homem, em Curitiba, para que ele pudesse ver a criança.

Segundo Boletim de Ocorrência (B.O), durante a noite de segunda, a mãe colocou a criança para dormir. Em seguida, o homem forçou a vítima a ter relações sexuais e a agrediu.

Ela contou também que passou por outra situação de violência sexual ainda na sexta-feira, quando chegou na casa do suspeito.

A vítima disse à polícia que o homem ameaçou ela e a filha de morte, caso contasse o que aconteceu para alguém.

O homem negou o crime. Ele foi preso e levado para a Delegacia da Mulher. A vítima foi acolhida e deverá passar por exames.

VÍDEOS: Mais assistidos do g1 Paraná